terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

E aí, como foi na China?

Visitar a China ou ir para qualquer outro país do oriente é sair da comodidade, um turismo fora da zona de conforto, indicado para quem curte desafios e experiências novas. Voltei impressionado positivamente com muito do que vi na China, sua moderna infra estrutura, um país sendo construído e desenvolvendo como nenhum outro na história recente da humanidade. A riqueza do passado histórico da região é muito vasto, grande e lindas construções como a Muralha da China ou a cidade Proibida são fascinante. Porém fiquei preocupado com o custo deste desenvolvimento, com o modo chinês de agir e a quantidade ou a multidões de chineses que estão ávidos pelo consumo e as maravilhas do Capitalismo. Em nossa viagem pudemos conhecer as duas mais importantes cidades chinesas Pequim e Shangai, e ver um pouco de uma China diferente fomos para a cidade Yangshuo, na famosa região de Guilin, uma China de rica de beleza naturais  e não tão transformada, uma região a ser apreciada.
Grande Muralha ou Muralha da China


Retornei da China e algumas perguntas me foram feitas ou eram dúvidas que eu também possuía. Montei este pergunta e respostas aos que preparam uma aventura por solo Chineses, com pequenas dicas e curiosidades.

  • A pergunta mais comum foi: As coisas são baratas na China?

Calçadão do Comercio em Shangai
Não, as compras não são o forte para quem viaja para a China, pelo menos no meu ponto de vista. Os importados ou produtos de marcas famosas internacionais na China possuem valores elevados quando comparados a outros destinos, como no Brasil os impostos são altos na China. O Chinês como o Brasileiro gosta de pagar caro, fatos comuns das economias emergentes que a elite goste de se destacar por bens adquiridos.
As grandes redes de fast fashion como Zara, HM, Uniqlo estão presente nos principais shoppings de Pequim e Xangai, marcas como Apple, Nike e GAP e outras também são facilmente encontradas, com produtos sendo vendidos por valores abaixo dos praticados no Brasil, mas a margem de lucro e a distância percorrida para chegar na China, não acredito que compense para uma viagem de "compras".
Mercado da Seda em Pequim

O famosos mercado da Seda em Pequim eu achei um grande Camelódromo, com várias falsificações de baixa qualidade, ou produtos  de marcas desconhecidas, somente vantajoso para compras de artigos de decoração ou souveniers, mas se prepare para negociar, nestes mercados nunca compre pelo valor oferecido, sempre é necessário barganhar e muito.

  • Levar Dólares ou Euro? Câmbio ou Cartão de Crédito?

O dinheiro na China é Renmenbi (RMB), o Dinheiro do Povo,  no símbolo da língua local ¥, quando estávamos lá a conversão era de um dólar por 6,20 RMB. Levei dólares, mas o Euro era igualmente aceito. Fiz todas as minhas operações de câmbio no Banco de Pequim, nos bancos oficiais as conversões estavam melhores, e sem taxa de câmbio. A operação a primeira vez é um pouco demorada, pois necessita de um pequeno cadastro com os dados do passaporte, endereço de hospedagem, nas operações seguinte não levei 5 minutos. Não é aceito moeda estrangeira no comercio local, é necessário realizar o câmbio.

Máquina automática de Câmbio
Uma modernidade que eu vi, mas não usei, são as máquinas automáticas de câmbio, eu as observei em Pequim e Shangai.

Muito necessário andar com dinheiro em espécime, alguns locais não aceitam ainda cartões internacionais, somente débito e de bancos locais. Na maioria de shoppings e restaurantes maiores este problema não existe, mas não tem uma regra bem clara. Sempre bom andar com pelo menos 1000 RMB na carteira.
Um alerta para os cartões com operação de débito e crédito no mesmo cartão, a confusão para eles é grande se for optar por uma outra operação, se vai no escuro porque dialogar em chinês é impossível.

  • É possível fazer turismo independente pela China? Eles falam Inglês?


Sim, é possível em Pequim e Shangai. Não sei se será fácil, mas não é impossível. Nestas duas cidades principais as sinalizações estão sempre em Mandarin e Inglês. Não acredito que seja possível alugar um carro e sair dirigindo, o transito chinês é um capítulo a parte, onde carros, motos, bicicletas e pedestres cruzam e trafegam numa sintonia caótica.
Em nossas andanças optamos por contratar um van privada nas cidades que estávamos, o serviço sai barato e se ganhasse muito tempo. Pagamos aproximadamente 120 dólares dias, para ter um carro a nossa disposição com motorista que fala inglês, ele também servia de guia e tradutor em muitos locais. Foi muito vantajoso pois estávamos em 6 adultos e um bebe de 1 ano e 4 meses.
Placa em Inglês e Mandarin no Zoo de Pequim

A proporção de chineses que falam inglês fluente não é muito grande, e com as sinalizações nos símbolos deles ou locais com somente povo local a sensação de Analfabetismo é gritante, dá um frio na barriga. Acho que voltei somente falando obrigado e olá em chinês.

  • Clima e Poluição é isso tudo?

Chegamos em Pequim no dia 20 Dezembro, o último dia do outono, e pegamos início do inverno. Em Pequim sentimos a mistura de ar frio, seco e poluído que nos castigou bastante. Estivemos em Pequim por 10 dias, onde geralmente durante o dia estava entre 0º e -5º C. A condição do ar, segundo o App de análise da quantidade de poluente na atmosfera do ar da cidade, tivemos 4 dias de ar aceitável,  4 dias poluído frio e seco, e 2 dias de extrema poluição com frio, que literalmente você consegue enxergar o ar.
Cidade Proibida envolta pela poluição em Pequim

Não sou uma pessoa friorenta, pelo contrário, mas o turismo em Pequim no inverno eu não indico a ninguém, para resumir no dia que fomos a Cidade Perdida a temperatura era de -5ºC porém a sensação térmica era de temperatura mais baixa devido a poluição. Caminhamos por aproximadamente por 2 horas dentro dos muros da cidade, sem nenhum ambiente climatizado, foi congelante.
Lago congelado ao redor da cidade Proibida

Em Shangai o ar não é tão seco e frio, a temperatura média estava entre 10º e 18ºC, mas a poluição também estava presente em um nível acima do aceitável. Na noite de Réveillon entrou uma frente fria e a temperatura chegou a -2 com ventos, muito frio.

Na região de Yangshuo pegamos o clima ideal para turismo, temperaturas 15ºe 25ºC, com umidade e sem poluição.

  • E a liberdade?

A China vive um regime de ditatorial comunista. Sobre o comunismo acho que hoje resiste a face da não abertura política e um estado que comanda tudo com mão forte. Para o turista estrangeiro não existe nenhuma limitação explícita de ir ou vir, nem do que consumir. Na verdade em muitos lugares da China você se sente nos EUA, povo bem vestido fazendo muitas compras com seu IPhones na mão. A sensação de estar sendo observado ou que exista alguma limitação achei menor do que em Moscou, por exemplo, onde existe muitos militares na rua.

  • Como você postou fotos no Facebook, Instagram e no Twitter?

Um mas das faces da China ditatorial é o bloqueio as redes sociais, para limitar manifestações e manter o controle sobre as multidões, todas as redes sociais usadas na China possuem um controle do estado, eles criaram similares do Twitter, Facebook e Instagram para o uso local. Mas para estrangeiros existem formas de burlar a censura usando os aplicativos de VPN, que fazem que o I.P. (endereço na  rede) fique fixo e fora de território Chinês. Usei o VPN da Astrill (www.astrill.com ) assim consegui utilizar as das redes sociais. Apesar de estar usando VPN acredito que eles possuam algum controle sobre quem está utilizando deste artifício. Para ter uma conta no Astrill você paga 5 dólares mês para poder utilizar um I.P. fora da China em um Computador e num Smartphone ou Tablet.
Outro alerta para quem usa conta do Gmail, os serviços da GOOGLE também não funcionam normalmente em território Chinês. Como o Google é "inimigo" os Mapas da do GooglesMaps também não são confiáveis e o ideal é usar os Mapas do Iphone mesmo, no caso dos usuários de Iphone.

Food Market em Shangai
A outra grande questão foi se eu comi cachorro ou gafanhoto? Esta irei responder no próximo post.

4 comentários:

  1. Eu gostaria de saber do pequeno viajante na China! Como foi vôo, comida... Tenho uma bebê que vai fazer 1 ano e 1 mês e aind anão arriscamos um destino tão distante. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anita

      Os voos que foram noturnos foram bons, nossa experiência com vôos longos diurnos não são boas.
      Para alimentação desta vez passamos trabalho, ele comeu muito macarrão a bolonhesa, ou eu solicitava algo pela manhã no hotel e elvava numa pequena marmita térmica que possuímos. Frutas são bem abundadantes na China e ele gosta muito de banana e comia sempre, mas não encontramos com facilidades sucos naturais e água de coco, foi nosso maior incomodo a dieta do pequeno.
      Mas se você estiver se programando ir para Europa, já fomos quando ele tinha um ano e facilita, e não foi perrengue.
      @GusBelli

      Excluir
  2. Olá!
    Ótimas informações!!
    Uma dúvida, onde vocês passaram o réveillon? Digo, onde em Shangai?
    Estaremos na China e ainda não decidimos, uma das opções é Hong Kong, ou então Shangai!
    Se puderem ajudar agradeço!

    Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila

      Tem este Post com as dicas do Réveillon em Shangai
      http://viajarepensar.blogspot.com.br/2015/10/reveillon-em-xangai-iniciar-o-ano-no.html
      @GusBelli

      Excluir