segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Novosibirsk: a bela das belas

Todos sabem que a Rússia é um país de belas mulheres, e Novosibirsk é considerada pelos russos a cidade das mais belas mulheres do país. No livro “O Aleph”, do Paulo Coelho, ele também cita este fato, o que me deixou bastante curioso.



É uma cidade “nova” para padrões russos, fundada em 1893 como “Novonikolayevsk”. Em 1903, modificou o nome para Novosibirsk, que significa “Nova Sibéria”. Atualmente, é a terceira maior cidade da Rússia (1,5 milhões de habitantes), ficando atrás apenas de Moscou e São Petersburgo. Novosibirsk possui belas e modernas construções e tem se beneficiado com o recente “boom” econômico do país.
 

A cidade desenvolveu-se com as obras da ferrovia Transiberiana e, principalmente, com a construção da ponte sobre o Rio Ob. De lá partem ainda os trens em direção aos países da Ásia Central, todos antigos membros da União Soviética. Novosibirsk foi muito importante na fase comunista, uma vez que em seu território foi construída a “Akademgorodok” (Academia de Ciências da União Soviética).  

Este foi um centro direcionado para o desenvolvimento dos grandes projetos dos sucessivos governos soviéticos. Por este motivo, a cidade ficou isolada do mundo até 1991, não sendo permitida a visita de estrangeiros à região pelo medo de espionagem. A cidade recebeu, ainda, grandes plantas industriais devido à sua localização central do ponto de vista geográfico e pelo difícil acesso a possíveis invasores.

Chegamos, na cidade, no domingo à noite. Fomos direto para a praia – sim, praia (veja o post anterior)!! Ficamos um pouco mais de 24 horas na região.
Nos hospedamos no hotel Azimut Hotel Sibir, que recomendo bastante. Fiz a reserva pelo site Venere.com , sendo que a diária do quarto duplo custou 4000 rublos (US$ 130 dólares, mais ou menos). Azimut é uma rede de hotéis de bom padrão com diversos empreendimentos na Rússia. Curiosidade: como em muitos hotéis do país, há um bar na recepção que, no fim do dia, reunia meninas a serviço.
Azimut Hotel Sibir
Lenina Ulitsa
Acordamos e fomos bater pernas pela cidade. Começamos seguindo pela Lenina Ulitsa (Ulitsa = rua). A arborizada Lenina é uma agradável rua comercial que terminava exatamente em nosso hotel. Era uma segunda-feira quente de verão, numa das regiões mais isoladas do mundo, e a cidade, apesar de seu tamanho, estava bastante calma, talvez por ser o período de férias dos russos.
Casarão típico da Siberia na Lenina Ulitsa
No domingo à noite, depois da praia comemos uns hambúrgueres e tomamos uns chopes no Carl's Jr, na Lenina Ulitsa.
Praça Lênin

Homenagem ao povo russo
O ponto principal da cidade é a Praça Lênin, que é obviamente ordenada com um grande monumento ao líder revolucionário bolchevique. A estátua é cercada por belos bronzes em homenagem ao povo russo. Nesta praça, encontra-se o maior teatro da Rússia, uma bela construção que simbolizava o valor que o governo comunista dava à cultura e à popularização das artes. Infelizmente, no verão, o teatro estava fechado.

Seguindo na Avenida Krasny, em frente a Praça Lênin, está o “Museu de Artes Russas”, mas somente apreciamos as esculturas do jardim. Mais à frente, está a Catedral de São Nicolas, o padroeiro da região. A Catedral é muito bonita, com tijolos vermelhos e uma abóboda dourada, típica das igrejas ortodoxas.

Catedral de São Nicolas
Após bater pernas sob o calor de 30ºC, fizemos o turismo lentamente, paramos bastante e resolvemos não forçar muito, pois a viagem estava somente começando.















Recomendado em vários guias, mas não vistamos, pois no dia anterior passamos pela frente e não nos animamos, é uma visita ao Museu da Ferrovia Transiberiana. Este é um museu a céu aberto com várias locomotivas e equipamentos para a construção da ferrovia. Não fez falta alguma!!





 







Durante todo o dia o calor era muito forte e algo curioso foi encontrar várias crianças tomando banho e se divertindo nas fontes e chafariz da Sibéria. 














Quanto às belas mulheres de Novosibirsk, não vou falar muito, imagens falam mais do que palavras, cada um com sua opinião.


No fim do dia retornamos ao Hotel, e utilizamos o serviço a sauna do hotel para tomar um banho e seguir para a estação. O Azimut cobrou 150 rublos por este serviço, muito importante para garantir a higiene, porque seriam 30 horas dentro do trem.

Muitos dos guias e blogs já alertavam que, apesar de ser a terceira maior cidade do país, não existem muitos pontos turísticos, o que se confirmou parcialmente.Uma cidade viu está visto.





A estação em Novosibirsk recebe o nome de Vokzal-Glavny, não é  gloriosa e bela comparada com a de Ecaterimburgo, mas é a maior estação ao longo de toda a Transiberiana. Este terminal é muito importantes, recebe conexões de vários países da antigas Repúblicas Soviéticas, além dos trens que partem da Mongólia e China. A estação é o destino final do trem mais longos saindo da União Européia o Sibiryak Express, parte desde Berlim na Alemanha, com partidas todos os sábados.


Às 21:56 fomos para a plataforma dois onde embarcaríamos no Trem 20 Moscou-Pequim, que estava vindo desde Moscou, cruza a Sibéria, atravessa a Mongólia e chega na capital chinesa. O trem Moscou-Pequim é hoje a rota mais realizadas pelos turistas ocidentais no trem Transiberiano.





Fomos com o trem 20 nesta até Irkutsk, numa viagem de 30 horas, embarcamos na segunda às 21:56 e somente chegamos em Irkutsk na quarta feira às 7:57 da manhã em horário local.








A Sibéria começou de forma inusitada, Novosibirsk foi somente nossa primeira parada.

Viu que até praia pegamos na Sibéria? clique aqui!


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Pegando uma praia na Sibéria

34ºC em pleno verão da Sibéria


Chegar na Siberia e cozinhar com 34ºC é algo inimaginável, tudo que se vem a mente sobre a Sibéria é congelante. A parte boa e louca disto tudo foi descobrir a existência de praia na região.
Após 20 horas no trem desde Ecaterimburgo, chegamos em Novosibirsk. Chegar na Sibéria é algo que soa muito diferente, no imaginário, uma região desabitada, com malucos que vivem na região mais fria do mundo. As primeiras imagens, eram casinhas como esta perdidas no nada, pequenos povoados. Pastos vastos, mas sem animais.

Ao aproximarmos de Novosibirsk, nosso destino, a paisagem vai mudando, apareceram vilas maiores, rios e lagos. Em alguns pontos avistamos pessoas fazendo piquenique e nadando.





Então na ponte sobre o Rio Ob observamos esta mutidão, num parque a beira do rio.
Multidão na praia de rio em Novosibirsk
Desembarcamos na estação de Novosibrisk, às 19 horas, com um sol ainda muito alto e incríveis 34ºC. Nesta região, no verão o sol de põe próximo à meia noite.

Saímos do trem, carregados, num calor Sudanês em plena Sibéria. Pegamos um táxi e rumamos direto para o Hotel. Check- in pronto e as malas no quarto, pegamos informações na recepção e partimos para a praia indicada. Em poucos minutos já estávamos dentro de outro Táxi em direção à praia.
 
Depois de alguns minutos de tensão no táxi, o motorista não parava de falar ao telefone, dirigia como um doido, fora o detalhe que o carro era mão inglesa (volante ao contrário), mas o trânsito não era em mão inglesa!! Táxi com fortes emoções!! Depois de uns 15 minutos chegamos ao "Star Holiday Park" (Tradução livre do Russo), uma zona de bares a beira do lago formado pela represa do Rio Ob, que eles chama de Mar de Ob.

O taxista nos largou na guarita da entrada e seguimos o contra fluxo dos pedestres, pois eram 21 horas.

Finalmente a praia, para a maioria dos Brasileiros isto é até um crime ser chamada de praia, mas para o cidadão da Sibéria é um paraíso


Barraca de Pipoca na praia

 



O Star Holiday tem uma boa estrutura de barracas e bares, infelizmente chegamos num horário de clima de fim de festa.
 
Apesar da hora, o sol estava alto e preparava um belo Sunset. Não deixei de dar um mergulho no Mar de Ob, água não estava muito fria e foi um banho muito agradável. Tomar uma cervejinha a beira da praia na Sibéria, nem nos meus sonhos mais loucos imaginaria algo assim.
Mergulho na Sibéria
Sunset no Mar de Ob
#Ficaadica na Sibéria no verão leve sunga ou biquíni.

Era somente nosso primeiro dia de Sibéria e foi inusitado.

CONTINUA...

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Pesquisa dos leitores de blogs de viagem no Brasil

A ABBV, Associação Brasileira de Blogs de Viagem, está iniciando hoje uma pesquisa junto aos leitores dos 41 blogs associados. O objetivo deste estudo é mensurar a influência desses blogs junto a vocês, leitores, além de mapear o perfil do público que lê blogs de viagem.

No intuito de garantir precisão metodológica, a ABBV fez uma parceria com a Idealis, empresa de pesquisa de mercado responsável pela composição científica da amostra deste estudo. A amostra está sendo calculada proporcionalmente à audiência dos blogs que fazem parte da pesquisa. Desta forma, garantiremos que o resultado não seja enviesado pelas respostas vindas dos blogs com maior audiência.

Para participar da pesquisa, basta responder o questionário disponível aqui.

Esta pesquisa é a primeira ação da ABBV para levantar números concretos sobre blogs de viagem que possibilitem medir o real poder de influência desses atores no planejamento de viagem dos brasileiros.

Diversas pesquisas já foram publicadas mostrando a importância da Internet como fonte de pesquisas sobre viagens. Existem ainda estudos que mostram a crescente audiência dos blogs: segundo a ComScore, em 2011, o acesso a blogs no Brasil cresceu 44%, enquanto a média mundial de crescimento é de 11%.

A profissionalização do setor, que já conta com alguns blogs que permitem a seus autores viverem exclusivamente desta atividade, mostra a relevância crescente destes canais de informação. Porém, este será o primeiro estudo específico feito com leitores de blogs de viagem. Com este resultado, a ABBV pretende contribuir para a profissionalização do setor e o amadurecimento do mercado no entendimento deste novo meio de comunicação.


Vamos lá pessoal é rapidinho entrem no link e respondam: # Pesquisa ABBV